Entenda a relação da COIN DTVM com a Avenue

Mais e mais brasileiros investem nos Estados Unidos e diversificam seus portfólios internacionalmente.


Como todas as formas de investimento,

a categoria internacional também exige atenção e cuidados.


Um dos pontos mais sensíveis é o câmbio.

Se feito corretamente e por uma instituição confiável, o investidor pode não se preocupar.


MAS E SE NÃO FOR?


Felizmente, o Banco Central do Brasil disponibiliza ferramentas para ajudar nesse controle. Confira.

O câmbio deve ser registrado em nome

do investidor, individualmente.


As empresas que fornecem serviços

de câmbio têm o dever de fornecer as informações do VET (Valor Efetivo Total), contratos e recibos para cada uma das transações. Todas as transações devem ser registradas individualmente nos sistemas

do Banco Central. Esses registros levam

em conta os seus dados pessoais.

 

Somente assim, você estará fazendo uma operação regular. É importante que você

sempre verifique se suas transações estão sendo individualmente registradas em seu nome, e você pode fazer essa verificação através do Registrato.

 

O extrato de câmbio é a prova de que o dinheiro que você tem no exterior foi enviado de forma regular.

Registrato é um extrato oficial que demonstra todas as transações de câmbio que foram registradas em seu nome.

Infelizmente não é incomum encontrar empresas que não cumprem corretamente

a regulação. E isto pode colocar seus clientes em risco.


Caso você tenha feito operações de câmbio sem ter obtido o recibo ou não puder encontrar o registro da operação no Registrato, denuncie na ouvidoria do banco ou corretora responsável pela transação

e nos canais oficiais do Banco Central.

Você pode consultar quando quiser.

Veja como funciona:

Vá até www.bcb.gov.br/cidadaniafinanceira/registrato e clique em Primeiro Acesso/Sou Pessoa Física.

Faça seu cadastro.

Para preencher o PIN, siga o próximo passo.

Vá até o app ou site do seu banco e encontre a opção Registrato no menu.

Pegue o PIN gerado pelo seu banco.

Com o cadastro feito, você verá uma interface com diversas opções de relatório. Escolha a opção câmbio.

Em aproximadamente dois dias úteis você terá acesso ao relatório de câmbio nas datas escolhidas e poderá conferir os câmbios feitos em seu nome.

Se você perceber que algum câmbio realizado no período não está presente no Registrato, entre em contato com a ouvidoria da instituição financeira e com o Banco Central.

Segundo o ICCS,

International Center for Crime Studies,

o câmbio não autorizado está tipificado

na lei brasileira:


"Artigo 22 caput e parágrafo único da Lei 7.492/86:

Efetuar operação de câmbio não autorizada,

com o fim de promover evasão de divisas do País:

Pena – Reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa."

Como você pode verificar,

é importante conferir seu

registro de câmbio.


Peça pelo recibo de câmbio em seu nome

e confira se os dados do recibo estão idênticos aos dados presentes no Registrato. Se não estiverem, denuncie.

Esta é a única prova que você tem de

que a remessa de recursos ao exterior

foi feita de forma regular.